Saciação e saciedade

18 de novembro de 2012
Por

pessoa segurando garfo e faca com o prato vazioEm uma época na qual um grande número de pessoas enfrenta grande dificuldade para perder peso ou para evitar o ganho de peso, buscam-se alimentos capazes de satisfazer rapidamente o desejo de comer (saciação), bem como de tirar a fome por mais tempo (saciedade).

A saciação é o processo que nos faz parar de comer. Já a saciedade é o processo que suprime a vontade de comer, após a refeição. Ambas inibem o apetite, que pode ser definido com a tendência de procurar e consumir alimentos.

A saciação ocorre por diversos fatores, como a percepção visual (ou seja, a antecipação do consumo), do sabor e do aroma dos alimentos (também chamada de fase cefálica da resposta do sistema digestório a uma refeição), a distensão do estômago (fase gástrica) e a presença de macronutrientes (estímulo químico) no estômago e intestino delgado (fase intestinal). É mediada principalmente pelos hormônios colecistoquinina (CCK) e peptídeo semelhante ao glucagon 1 (GLP-1).

Estudos sugerem que os alimentos sólidos em geral promovem maior saciação do que os alimentos líquidos. Alguns desses estudos observaram que o consumo de bebidas adoçadas com açúcar possa promover o aumento da ingestão calórica sem aumentar a saciação da refeição. Entretanto, a maior parte desses estudos comparou somente alimentos líquidos com sólidos, sendo necessário que se façam estudos mais detalhados para se poder tirar melhores conclusões a respeito do efeito da textura dos alimentos na saciação.

Outro fator que parece interferir com a saciação é a densidade energética do alimento. Existem evidências de que os alimentos com alta densidade de energia (com mais calorias por grama de alimento) fazem com que as pessoas acabem comendo mais do que necessitam, já que a alta concentração de energia faz com que uma porção pequena de alimento já tenha a quantidade de calorias de que a pessoa precisa, sem encher o estômago.

Nesse sentido, as gorduras são o grupo de macronutrientes com maior potencial de aumentar a densidade energética dos alimentos, já que cada grama de gordura tem 9 quilocalorias (em comparação com 4 kcal das proteínas e dos carboidratos).

Ainda com relação às gorduras, sabe-se que os alimentos gordurosos são em geral considerados muito palatáveis e promovem um forte efeito de recompensa. É conhecido o fato de que muitas pessoas continuem comendo esses alimentos mesmo estando satisfeitas. O chocolate é um bom exemplo de alimento que promove esse fenômeno.

A saciedade, por sua vez, também é mediada por diversos fatores, como a absorção dos macronutrientes e o aumento da quantidade de glicose (dos carboidratos), aminoácidos (das proteínas) e ácidos graxos (das gorduras) no sangue. É mediada principalmente pelos hormônios insulina, leptina e grelina.

Estudos sugerem que as proteínas são os macronutrientes que têm maior efeito de saciedade. Em segundo lugar vêm os carboidratos e, em terceiro, as gorduras. Entretanto, é importante citar algumas considerações a respeito dos carboidratos.

Os carboidratos simples (açúcares) em geral promovem um efeito inverso (diminuição da saciedade), devido à rápida e intensa liberação de insulina, diminuindo a quantidade de glicose do sangue e fazendo com que a pessoa sinta fome pouco tempo após ter comido. Já os carboidratos complexos (amidos), principalmente os ricos em fibras (que são um tipo de carboidrato que nós não conseguimos digerir, portanto não absorvemos energia), não promovem a liberação tão rápida e intensa de insulina, tendo maior efeito de saciedade.

Referências:

Stafleu, A et al. Texture and Diet Related Behavior: A Focus on Satiation and Satiety. In: Preedy VR et al., editor. Handbook of behavior, food and nutrition. New York: Springer, 2011. p. 133-142.

Harrold, J and Halford, JCG. Manipulation of Diet to Alter Appetite. In: Preedy VR et al., editor. Handbook of behavior, food and nutrition. New York: Springer, 2011. p. 1051-1067.

Share on FacebookShare on Twitter
Eduardo Bellotto

Sobre Eduardo Bellotto

Sou Médico Nefrologista formado na Universidade Federal de São Paulo e tenho muito interesse em estudar, entender e compartilhar conhecimento sobre os principais problemas que afetam as pessoas nos dias atuais, particularmente aqueles relacionados ao estilo de vida contemporâneo, como a obesidade, o diabetes e a hipertensão.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados com *

*