O mundo está se tornando obeso!

5 de junho de 2012
Por

Durante muitos anos o maior problema relacionado à nutrição era a desnutrição! No entanto, com o passar dos anos um outro cenário começou a surgir. A cada ano que passa mais pessoas estão acima do peso no Brasil! E porque isso tem acontecido? A resposta é muito simples. Com o passar dos tempos, o acesso da população, independente da renda, a alimentos industrializados, congelados e fast-food, tem se tornado cada dia mais fácil! Isso porque são práticos, baratos e gostosos. No entanto, esquecemos de levar em conta que, de uma maneira geral, esses alimentos possuem grande quantidade de gordura e, consequentemente, de calorias.

Outro fator importante é o sedentarismo. Sabemos que a prática de atividade física regular, quando bem orientada, pode contribuir para redução ou manutenção do peso, além de outros benefícios.

Um estudo realizado no Brasil mostrou que a porcentagem de pessoas obesas e com excesso de peso, tanto da população masculina quanto da feminina, está aumentando. Em 2006, 47,2% dos homens e 38,5% das mulheres estavam acima do peso ideal. Agora, as proporções subiram para 52,6% e 44,7 %, respectivamente. Ou seja, quase metade da população Brasileira está acima do peso!

E você? Para saber se você está com peso adequado é bem simples, basta calcular o seu índice de massa corporal (IMC). Para isso você precisa do seu peso (kg) e sua altura (m). Tendo os dois valores você irá dividir o seu peso pelo valor da altura ao quadrado. Agora é só ver em qual classificação você está:

  • IMC < 18,5 Kg/m² = Desnutrição
  • IMC 18,5-24,9 Kg/m² = Eutrofia (normal)
  • IMC 24,9-29,9 Kg/m² = Sobrepeso
  • IMC > 29,9 Kg/m² = Obesidade

Referência: Relatório VIGITEL Brasil 2011 – Vigilância de Fatores de Risco e Proteção Para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico – Ministério da Saúde.

Share on FacebookShare on Twitter
Mariana Rocha

Sobre Mariana Rocha

Sou Nutricionista formada na Pontifícia Universidade Católica do Paraná e com especialização e mestrado pela Universidade Federal de São Paulo. Atualmente atuo como nutricionista clínica de pacientes renais crônicos adultos e pediátricos. Tenho interesse nos assuntos relacionados a doenças crônicas não transmissíveis, reeducação e influência alimentar.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados com *

*