O colesterol dos alimentos

9 de março de 2013
Por

Ovos fritosO colesterol é um componente essencial das membranas das nossas células e é usado pelo nosso organismo para a produção de diversos hormônios (como cortisol, estradiol, progesterona e testosterona, por exemplo) e para a produção da bile que é uma substância produzida no fígado e que serve para auxiliar na digestão de gorduras, funcionando como um detergente (emulsificante), diminuindo as gotículas de gordura e facilitando a ação de enzimas que digerem as gorduras (lipases).

Nosso fígado produz a quantidade de colesterol que necessitamos para as funções descritas acima. Entretanto, sabe-se que muitas pessoas têm níveis de colesterol acima do normal e que isso está claramente associado a doenças cardiovasculares, como infarto agudo do miocárdio (infarto do coração) e acidente vascular cerebral (derrame).

Um estudo recente realizado em diversas cidades do Estado de São Paulo mostrou que a prevalência de dislipidemia (níveis altos de colesterol e/ou triglicérides) na população adulta é de 12%, sendo maior na capital (16,5%).

Entretanto, ainda se discute se a causa desse aumento é o colesterol proveniente da dieta ou se é decorrente de outros fatores, como sedentarismo, tendência genética, excesso de gorduras na alimentação, ou uma combinação de fatores.

Nos Estados Unidos, recomenda-se que o consumo de colesterol seja de menos de 300 mg por dia. No Brasil, a Sociedade Brasileira de Cardiologia recomenda a ingestão de menos de 200 mg de colesterol por dia. Para se ter uma ideia, uma gema de ovo tem cerca de 250 mg de colesterol, uma colher de sopa de manteiga tem cerca de 30 mg de colesterol e um bife pequeno, de 100 gramas de picanha (com a capa de gordura), tem cerca de 100 mg de colesterol.

Por outro lado, nem todos os países tem diretrizes que recomendam uma quantidade máxima de ingestão de colesterol. O Canadá e Autoridade Européia de Segurança Alimentar decidiram não estabelecer um limite na quantidade de colesterol ingerida, devido ao fato de que a principal origem do colesterol do nosso sangue vem da quantidade de gordura saturada da alimentação. Além disso, sabe-se que algumas pessoas têm claramente uma tendência genética a produzir mais colesterol do que outras. Por este motivo, sua recomendação é que as pessoas comam uma grande variedade de alimentos, ajustando a quantidade de calorias ingeridas para manter um peso adequado, dando preferência para frutas e verduras e substituindo a gordura saturada por gordura insaturada e reduzindo a quantidade de sal.

Apesar de a gema do ovo ter uma grande quantidade de colesterol, ela não tem sido tão crucificada pela mídia, pois tem somente cerca de 2 gramas de gordura saturada, menos que uma colher de sopa de manteiga, que tem cerca de 7 gramas de gordura saturada e menos que um bife de 100 gramas de picanha, que tem cerca de 5 g de gordura saturada.

Enquanto não se chega a um consenso mundial sobre o consumo de colesterol, é interessante manter sua restrição, principalmente levando em consideração que muitos alimentos ricos em colesterol também são ricos em gordura saturada.

Referências:

Lowery, L. Fat. In: Campbell, BI and Spano, MA, editors. NSCA’s Guide to Sport and Exercise Nutrition. Champaing, IL: Human Kinetics, 2011. p. 49-70.

Fernandez, ML. Rethinking dietary cholesterol. Current opinion in clinical nutrition and metabolic care. 2012;15(2):117-121.

Fernandes, RA et al. Prevalence of dyslipidemia in individuals physically active during childhood, adolescence and adult age. Arquivos Brasileiros de Cardiologia, 2011;97(4):317-323.

IV Diretriz Brasileira Sobre Dislipidemias e Prevenção da Aterosclerose. Arquivos Brasileitos de Cardiologia. 2007; 88(suppl I).

Share on FacebookShare on Twitter
Eduardo Bellotto

Sobre Eduardo Bellotto

Sou Médico Nefrologista formado na Universidade Federal de São Paulo e tenho muito interesse em estudar, entender e compartilhar conhecimento sobre os principais problemas que afetam as pessoas nos dias atuais, particularmente aqueles relacionados ao estilo de vida contemporâneo, como a obesidade, o diabetes e a hipertensão.

2 Responses to O colesterol dos alimentos

  1. the angry teacher on 1 de abril de 2013 at 8:07

    This article left me feeling less angry, as I rarely consume the above high-cholesterol foods. However, it would be nice to learn how cholesterol helps in producing testosterone. I had thought that this was a naturally produces hormone.

  2. Eduardo Bellotto
    Eduardo Bellotto on 2 de abril de 2013 at 21:40

    Hi Chris.

    Testosterone is called a steroid hormone because its origin from cholesterol. Since cholesterol is necessary for the synthesis of testosterone, several studies has analyzed the effect of the treatment of high serum cholesterol levels (with medicines called statins) in testosterone levels and in libido. In fact, there is a correlation among low cholesterol levels (after treatment) and decrease of testosterone levels and libido. But the benefits of the treatment surely exceed the possible collateral effects.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados com *

*