Estou com desejo

26 de agosto de 2012
Por

bombons de chocolateO desejo por comida ou food craving pode ser definido como uma vontade intensa e irresistível de comer uma comida específica. É diferente da fome, pois a fome pode ser satisfeita com diversos tipos de alimento, enquanto que o desejo só é aliviado com um alimento específico.

Pesquisas realizadas em países industrializados mostram que mais da metade dos adultos relatam episódios de desejo por comida. Esses episódios são mais comuns em mulheres, particularmente na segunda fase do ciclo menstrual (antes de vir a próxima menstruação). A maioria das gestantes também referem ter desejos por alimentos específicos, particularmente por doces.

Em média, essas crises de vontade por determinadas comidas ocorrem de 3 a 4 vezes por semana e, na maioria das vezes, ocorrem à noite. Em geral, os alimentos são ricos em energia e gordurosos. O alimento mais comum desses desejos, principalmente para as mulheres, é o chocolate, responsável por 50 a 60% das fissuras por comida.

Sabe-se que existe relação entre essas crises de desejo alimentar e obesidade, motivo pelo qual esta condição deve receber a devida atenção. Além disso, as vontades por alimentos específicos também podem estar relacionados com episódios de compulsão alimentar, no qual a pessoa come grande quantidade de comida em um período relativamente curto de tempo, sente falta de controle sobre o episódio, come até sentir-se desconfortável e sente culpa, angústia ou repulsa de si mesma por ter comido tanto.

As dietas aumentam ou diminuem esses desejos?

Existem evidências de que nos primeiros dias de dieta restritiva (na qual há restrição de calorias ou de determinados tipos de alimento) essas vontades tendem a se intensificar. Com o passar das semanas e com a perda de peso, os desejos tendem a diminuir.

Como se trata esse desejo por comida?

Uma das abordagens mais atuais é por meio de terapia cognitivo-comportamental associada ao acompanhamento nutricional. O objetivo do tratamento é diminuir a frequência e a intensidade dos episódios de compulsão.

A terapia envolve técnicas de distração e confrontação. As pessoas são treinadas a distinguir a fome dos episódios de desejo e a identificar situações que desencadeiam essas vontades. Uma vez que essas situações são identificadas, elas são confrontadas e, quando forem desencadeados os episódios, as técnicas de distração são colocadas em prática.

Por exemplo, se uma pessoa tem forte compulsão por comer muita pipoca ao assistir filmes à noite, ela utilizará técnicas de relaxamento e distração durante os filmes noturnos, com o objetivo de suportar os desejos. Se ela conseguir evitar comer pipoca nesses momentos, essas vontades por pipoca diminuirão com o passar das semanas.

Referência: Martin, CK et al. Food Cravings: A Central Construct in Food Intake Behavior, Weight Loss, and the Neurobiology of Appetitive Behavior. In: Preedy VR et al., editor. Handbook of behavior, food and nutrition. New York: Springer, 2011. p. 741-755.

Share on FacebookShare on Twitter
Eduardo Bellotto

Sobre Eduardo Bellotto

Sou Médico Nefrologista formado na Universidade Federal de São Paulo e tenho muito interesse em estudar, entender e compartilhar conhecimento sobre os principais problemas que afetam as pessoas nos dias atuais, particularmente aqueles relacionados ao estilo de vida contemporâneo, como a obesidade, o diabetes e a hipertensão.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados com *

*