Bulimia nervosa

27 de setembro de 2012
Por

mulher provocando o vômitoA bulimia nervosa é um transtorno alimentar que se caracteriza por episódios de compulsão alimentar e comportamentos compensatórios inadequados pelo menos duas vezes por semana por no mínimo três meses consecutivos. A pessoa tende a ter uma autoestima excessivamente influenciada por sua forma física e por seu peso corporal.

Os episódios de compulsão alimentar se caracterizam por comer, em um determinado período de tempo, uma quantidade de comida definitivamente maior do que a maioria das pessoas comeria nesse tempo e nas mesmas circunstâncias; ter falta de controle sobre o episódio (sentir que não consegue parar de comer).

Os comportamentos compensatórios inadequados consistem na indução do vômito, no uso de diuréticos, laxantes, medicamentos para perder peso, enemas (lavagens intestinais), em ficar períodos prolongados em jejum ou em praticar exercícios em excesso.

A bulimia pode ser classificada em purgativa, quando a pessoa induz o vômito ou usa diuréticos ou laxantes com frequência, ou não purgativa, quando a pessoa faz períodos de jejum prolongado ou pratica exercícios extremos para compensar os episódios de compulsão e não pratica métodos purgativos regularmente.

A bulimia nervosa atinge cerca de 1,5% das mulheres e 0,5% dos homens ao longo da vida, ou seja, é um problema três vezes mais comum em mulheres do que em homens e a idade média de início é aos 20 anos. Tipicamente, os episódios de compulsão alimentar desencadeiam tentativas de restrição de calorias, que acabam aumentando a probabilidade de novos episódios de compulsão. Comumente esses sintomas acompanham períodos de estresse e atrapalham a rotina da pessoa (na família, no trabalho, na vida social).

Diferentemente da anorexia nervosa, na qual os pacientes tipicamente são muito magros, na bulimia nervosa as pessoas normalmente têm um peso normal. Entretanto, alguns pacientes podem estar abaixo ou acima do peso.

Tanto a bulimia como a anorexia têm um forte componente hereditário. Além disso, fatores ambientais, como problemas de relacionamento e insatisfação com o próprio corpo (motivada pela cultura da imagem de nossa sociedade) podem contribuir para o desencadeamento dos sintomas

A pessoa com bulimia pode ter diversas complicações, como desidratação, queda da pressão arterial (hipotensão), ressecamento da pele, irregularidades menstruais (devido à desnutrição) e, se provocarem o vômito regularmente, podem ter erosões no esmalte dos dentes, aumento das glândulas salivares (deixando as bochechas com um típico aumento de volume da porção inferior) e lesões no esôfago.

É relativamente comum que os pacientes com bulimia tenham outros problemas psicológicos ou psiquiátricos associados, como transtornos do humor e de ansiedade. Desta forma, a bulimia nervosa deve ser tratada por uma equipe multidisciplinar de profissionais, incluindo avaliação e tratamento nutricional, médico e psicológico, especialmente por meio da abordagem cognitivo-comportamental.

Referência: Engel, S et al. Bulimia nervosa in adults: Clinical features, diagnosis, and assessment. In: UpToDate, Basow, DS (Ed), UpToDate, Waltham, MA, 2012.

Share on FacebookShare on Twitter
Eduardo Bellotto

Sobre Eduardo Bellotto

Sou Médico Nefrologista formado na Universidade Federal de São Paulo e tenho muito interesse em estudar, entender e compartilhar conhecimento sobre os principais problemas que afetam as pessoas nos dias atuais, particularmente aqueles relacionados ao estilo de vida contemporâneo, como a obesidade, o diabetes e a hipertensão.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados com *

*