A influência das propagandas no ganho de peso

12 de dezembro de 2012
Por

 A obesidade vem se tornando um problema de saúde pública no Brasil e no mundo, vários fatores contribuem para a crescente prevalência da obesidade. O sedentarismo é um desses fatores, pois ele por si só já contribui para o ganho de peso, além disso, você pode perceber que pessoas sedentárias muitas vezes são aquelas que ficam mais horas em frente à televisão. Não é verdade?

E o que o fato de assistir televisão tem a ver com o ganho de peso ou com a obesidade?

Um estudo realizado no interior de São Paulo analisou o conteúdo das propagandas veiculadas nos canais abertos no Brasil e descobriu que, independente dos dias e horário, as propagandas relacionadas a alimentos são as mais veiculadas. O problema é que, de uma maneira geral, os alimentos que são mostrados nas propagandas apresentam baixo valor nutricional, são ricos em gorduras e açúcares e, quando consumidos em excesso, estão associados ao ganho de peso.

Além disso, as propagandas apresentam alto grau apelativo tanto para adultos, pois na maioria das vezes esses alimentos estão associados a momentos agradáveis de descontração, quanto para crianças, pois 57% apresentam desenho animado e/ou animação.

Mas será que somente o fato de assistir as propagandas interfere no que compramos?

Talvez você mesmo possa responder essa pergunta, quantas vezes você já não comprou um produto porque anteriormente havia visto na propaganda?

Agora, imagina a criança que associa determinado alimento ao seu personagem preferido? Pois é, esse mesmo estudo também analisou o consumo alimentar de 816 crianças e adolescentes, que relataram que a propaganda é sim um fator que interfere na tomada de decisão de compra de alimentos.

Mas será que tudo isso de fato é ruim? Infelizmente sim! Esse estudo ainda mostrou que, entre crianças e adolescentes, assistir mais de 2 horas de televisão por dia está associado ao aumento do índice de massa corporal.

Portanto, brinque mais com seu filho, incentive a criatividade e desligue a televisão!

 

Fonte: Nascimento, Paula Carolina Barboni Dantas. A influência da televisão nos hábitos alimentares de crianças e adolescentes. Tese de Doutorado. USP. 2011

 

Share on FacebookShare on Twitter
Mariana Rocha

Sobre Mariana Rocha

Sou Nutricionista formada na Pontifícia Universidade Católica do Paraná e com especialização e mestrado pela Universidade Federal de São Paulo. Atualmente atuo como nutricionista clínica de pacientes renais crônicos adultos e pediátricos. Tenho interesse nos assuntos relacionados a doenças crônicas não transmissíveis, reeducação e influência alimentar.

Deixe um Comentário

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados com *

*